António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.

Pele

Setembro 17th, 2008

nudez.jpg

Entreguei-me à tua nudez
Guardei a memória da tua pele
No teu corpo encontrei a embriaguez
Nos teus lábios encontrei o mel

Prendeste-me com ferros de prazer
Fui teu e tu foste o meu Mundo
Morri e voltei a nascer
Numa noite que durou um segundo

Mergulhei nesse mar que me dás
Em loucura, bebi de todo o teu sabor
Explodi para encontrar a Paz
Adormeci em lençóis tecidos pelo Amor

Comments

3 Comments

RSS
  • Hélio says on: 17 de Setembro de 2008 at 12:35

     

    Gostei, António!

    Gosto da forma como associas as palavras, das rimas pouco simples!

    Não tenho a mínima dúvida de que um dia editarás os teus textos.

    Continua!

  • Telmasousa says on: 17 de Setembro de 2008 at 14:48

     

    MAis um poema lindissimo,,,=)
    Da gosto ler…Continua…adoro*

    Beijo*

  • Vasco Balio says on: 18 de Setembro de 2008 at 12:38

     

    Não é só por sermos amigos,dá-me realmente gozo visitar o teu blog.
    Continua a escrever Antonio Carlos,um dia vou-te “cravar” para uma canção !

António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.