António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.

Noite sem fim

Outubro 2nd, 2008

noite.jpg

E a noite chegou
Quis adormecer
Essa noite assustou-me
Cerrei os olhos com toda a força
E voei em sonhos para junto de ti

Então acordei
Mas as trevas permaneciam
Busquei a luz mas não a encontrei
Caminhei na negrura
Tropeçando em monstros e fantasmas
Fugi de vampiros e lobisomens

As horas passavam
Mas a noite era eterna
Corri desvairado sem rumo
Sentindo-te sempre na direcção oposta

Sem forças
Fatigado
Envolto em suor gelado
Acoitei-me numa memória
Protegi-me num sorriso
Fechei a porta da tenda com chave de beijos

E ali fiquei
Encolhi-me a um canto
Esperando que voltes

Lá fora
Os monstros e os fantasmas
Os vampiros e os lobisomens
Perseguem-me

Mas tu virás salvar-me
O teu sol virá
A tua luz
O teu calor
Mas até lá
A noite continua

Comments

2 Comments

RSS
  • Daniela says on: 4 de Outubro de 2008 at 16:19

     

    Noite vai-te embora já! Sai daqui!
    Deixa o meu padrinho querido ver a luz do sol. e que ela o aqueça para sempre : )

    ( Pronto, já foi embora* )

  • Mafalda says on: 8 de Outubro de 2008 at 19:49

     

    Tens um talento incrível…

    Escreves mesmo bem.

António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.