António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.

“Momentos Menores” – Ilídio Costa

Maio 26th, 2021
(texto inicialmente publicado no Facebook, a 14 de Abril de 2021)
É incontornável voltar a Ilídio Costa.
Não conhecendo eu na totalidade o seu reportório, arrisco-me a dizer que esta será a sua obra-prima, ou uma das suas obras-primas.
Há um ano, uma semana antes do confinamento, tive o privilégio de tocar esta obra, dirigida pelo próprio. Meus amigos… valeu cada minuto de ensaio. Ilídio Costa tem uma musicalidade única, uma apaixonante paixão pela Música, um sentido de humor refinado, uma obstinação pela perfeição, uma determinação pelo detalhe…
E ainda “refilou” por terem adulterado a sua orquestração quando decidiram “passar os papéis a computador.”
“Vou dirigir pela minha própria partitura manuscrita!”

Ilídio Costa classificou os “Momentos Menores” como ”

Divertimento

“. Imagino que tenha sido divertido compor isto, como é divertido tocar, mas considero que a obra é bem mais profunda que um “simples”

divertimento

. É daquela Música que nos toca intimamente, sem sabermos muito bem porquê. Talvez porque o resultado final é muito mais do que a simples sobreposição de elementos: melodia, harmonia, contraponto, ritmo… Há um elemento imaterial na criação do artista, que sentimos, mas não vemos na partitura, que torna a obra sublime.

Partilho-vos a interpretação da Banda de Golães, por dois motivos:
1º – Por ser fiel à leitura do compositor.
2º – Por ser um admirador do trabalho do Filipe Fonseca como maestro (por exemplo, vejam como se pode dirigir um “Vivo”, sem esbracejar como se o Mundo fosse acabar).
Siga a Música!

António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.