António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.

Despedida

Setembro 6th, 2008

andorinha2.jpg

Primeiro uma
Depois outra
Num corropio chilreado, fram chegando…

Chegando para partir
Para levar consigo a frescura da Primavera
A alegria do Verão

Vieram à minha porta
Fazendo de conta que não chovia
Dizer adeus

Como notas saltitando na pauta
Saltitavam de fio em fim
Levantavam e pousavam

Rodopiavam no ar
Como dança apoteótica
De um cabaret luminoso

A luz, essa
Apenas nos faróis dos carros
Que violavam as entranhas da chuva

A chuva não parava
Nem parou
Para também lhes dizer adeus

Primeiro uma
Depois outra
Voaram

Voaram e no seu ninho ficou a saudade

A saudade de te ver sorrir no meu jardim
A saudade dos teus dias longos em que acordavas para me beijar
A saudade das noites perdidas em palavras de amor
A saudade da loucura que é penetrar nos teus olhos e dizer: “amo-te!”

Elas voaram mas tu ficas
E a cada dia que passa ficas mais dentro de mim
Presa, amarrada, cativa…

Elas voam no céu
Tu voas no meu coração
Na minha mente, no meu ser

Voas, porque és bela de mais para estar presa ao chão
És a mais graciosa e delicada ave que a Natureza criou
Porque não partes…

Acolhes-te no meu peito…
E quanto mais perto estás
Maior é a saudade que sinto

Comments

3 Comments

RSS
  • Daniela says on: 6 de Setembro de 2008 at 16:32

     

    Bolas!
    Que lindo que lindo que lindo! : )
    Tás a ficar muito bom nisto pah! 😀

  • Telminha says on: 11 de Setembro de 2008 at 14:09

     

    Antonio, nao conhecia esta tua faceta poetica = )

    Este texto está realmente muito bonito =)

    Parabens!!

  • Mafalda says on: 12 de Setembro de 2008 at 16:43

     

    O Pinheiro vai esrever um livro, nao vais ?

    beijinho 🙂

António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.