António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.

Ode à Ambição

Março 28th, 2008

fractal_cinza_2.jpg

Quero seu eu…
Como eu quero, desejo e sonho!
Ambiciono ser eu!

Quero viver
Sem amarras
Sem as algemas da sociedade

Não me digam o que fazer
Quando fazer
E como fazer

Não me falem de empregos
Carreiras
Sucesso

Não me digam para onde ir
Ou como lá chegar
Não!

A minha ambição não mora nas notas de 500
Num carro de luxo
Ou num T2 com vista para o mar

A minha ambição não mora na conta do banco
Em jóias ou relógios
Ou num Armani flamejante

A minha ambição mora no teu coração
Nos teus beijos apaixonados
Na tua respiração aos meus ouvidos

A minha ambição mora no teu sorriso
Nas tuas lágrimas
Nos teus gritos

A minha ambição mora nestes versos
Nos sons do meu instrumento
No crepitar das tuas palmas

A minha ambição mora nas páginas dos livros
Em castelos e ruínas
Em acordes de uma sinfonia

A minha ambição mora no sorriso de uma criança por nascer
Num grito de “Golo”
No Campeonato do Mundo

A minha ambição é um orgasmo
Uma pintura
Uma imponente catedral gótica

A minha ambição é a tua felicidade
A minha felicidade
A felicidade do Mundo!

Comments

One Coment

RSS
  • Strings says on: 30 de Março de 2008 at 21:32

     

    “A minha ambição mora nestes versos
    Nos sons do meu instrumento
    No crepitar das tuas palmas”

    Muito bom!:)

    Beijo*

António Pinheiro

Profissional de marketing, músico e corredor por prazer. Corre na estrada, no monte e de um lado para o outro na vida, atrás e à frente dos filhos.