António Pinheiro

Freelancer em Serviços de Marketing para Empresas e Instituições. Músico. contacto@antonio-pinheiro.net

Carta de Amor

Fevereiro 14th, 2019

Porto, 14 de Fevereiro de 2019

Querida Teresa, meu Amor…

Quando era miúdo, adorava escrever cartas. Já escrevi muito para ti, mas nunca te escrevi uma carta.

Passamos o dia conectados, sms, messenger, whatsapp, instagram… mas poucos são os momentos para expressar o quanto nos amamos.

Compras, contas, jantar, fraldas, papas, ensaios, decisões e preocupações, isto e aquilo e “acoloutro”… e quase nos esquecemos do que realmente importa.

Muitos dirão que o Dia dos Namorados é todos os dias e bla, bla, bla, mas qualquer oportunidade para recordar a vida que temos em conjunto é boa. Qualquer oportunidade para te dizer que te amo, mesmo da forma mais lamechas e previsível é boa.

Qualquer oportunidade para recordar a nossa história, o quanto não gostavas de mim quando me conheceste e o Amor que construímos com gestos, palavras, entrega e coragem.

Sim, porque isto de amar e nos entregarmos a alguém requer muita coragem.

Agora, viria a parte cliché de falar dos defeitos e das coisas que, por vezes, não correm também como queríamos; dos erros, das faltas e da culpa… Mas sabes que fico sempre desconfortável nesse momento.

 

Depois de ti sou diferente. Não sei se mudei… Há quem diga que não devemos mudar por quem amamos, devem gostar de nós como nós somos. Mas sinto-me diferente.

Talvez sentirás o mesmo, mas continuo a ver em ti, todos os dias, tudo aquilo que me fez apaixonar.

E agora, com o “upgrade” que corre pela casa, faz birras e nos acorda de noite, nos sorve o ordenado em fraldas e comida, mas que nos deu um novo sorriso.

Lembras-te como elogiávamos o sorriso um do outro? Algum dia sonharíamos que as nossas vidas iriam ser adornadas por um sorriso ainda mais encantador?

Já estou a divagar, a ficar sem caneta e sem papel (curiosa metáfora num texto escrito online) e não te quero cansar mais.

Este dia é longo e ainda temos que trabalhar…

Quero apenas dizer-te que como ontem e como hoje, amanhã serei sempre teu.

Do teu namorado e marido que te ama muito,

António Carlos